Data de postagem: 26/11/2018 13:07:13

Advento - falar, ser e fazer!


Mateus 7.21-27

O texto acima são as últimas palavras de Jesus no chamado "sermão da montanha", que começa no capítulo 5 e termina aqui no capítulo 7 de Mateus. Não é um sermão fanático e nem convida ao fanatismo. Mas é um sermão radical que convida a um compromisso radical com o Reino de Deus.
No início Jesus fala a respeito das bem-aventuranças. Ele desafia os discípulos a serem luz e sal. Ele explica que o desafio é ir além, exceder a lei. Fala sobre o perdão. Fala sobre o orgulho revelado na esmola, na oração e no jejum (nos atos religiosos).Fala da ansiedade daqueles que fazem da riqueza o seu Deus. Fala do perigo do julgamento (condenação).

Jesus não usa meias palavras, ele faz um chamado a um compromisso radical de vida e termina com essas palavras profundas, como se elas fossem um selo, imprimindo sua autoridade ao seu ensino.

V. 21 - "nem todo... mas aquele que faz a vontade de meu pai..."

Hoje vivemos a crise do fazer: O que fazer diante de tantas possibilidades?

E a primeira coisa que Jesus está mostrando aqui é que a questão não é fazer..., mas fazer a vontade do pai... Ou fazer aquilo para que fomos chamado.

A segunda coisa que Jesus está mostrando é que fazer deve ser resultado espontâneo do ser.
Um dos nossos maiores problemas é dizer e fazer sem ser. De acordo com os versículos 22 e 23 a prioridade é ser conhecido por Jesus.

Nunca foi tão fácil fazer sem ser. Mas a verdade é que se eu faço sem ser, mais cedo ou mais tarde vem às claras, vem o escândalo. Por isso Jesus é radical - "saiam de perto de mim seus geradores de escândalos"

É tempo de advento. Ele habita entre nós. É na comunhão com Ele que somos habilitados não apenas para falar e fazer, mas em especial para sermos aquilo que proclamamos.

Que Deus que, em Jesus, se tornou Emanuel (Deus conosco) nos capacite a vivermos essa coerência.

Tenha um abençoado tempo de advento.

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica