Data de postagem: 29/08/2017 21:30:17

Consequências de Uma Vida Apressada


"Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus..." Salmos 40.10

Escrevendo sobre os perigos de vivermos uma vida apressada e agitada, o escritor cristão Frank Powell afirma que somos uma geração "viciada em velocidade, obcecada pela pressa". Ele diz que "nosso ritmo está fora de controle". Buzinamos se a pessoa não sai rapidamente da nossa frente; ficamos irritados nos supermercados procurando a fila com o menor número de pessoas. O Psiquiatra Carl Jung já dizia que "a pressa não é coisa do diabo. A pressa é o próprio diabo".
Frank Powell lista algumas consequências da vida apressada, das quais destaco três:

1. Uma vida apressada destrói o nosso relacionamento com Deus:
Intimidade com Deus exige quietude; atenção e silencio. Jesus frequentemente se retirava para o deserto ou para o monte onde, na presença do Pai, buscava força; confiança e sabedoria para discernir entre a vontade de Deus e a vontade do mundo.
E Powell conclui que, a não ser que gastemos tempo à sós com Deus através da oração, a velocidade do mundo irá distorcer nossa compreensão de Deus.

2. Uma vida apressada diminui nossa capacidade de amar o próximo:
Para Frank Powell não é coincidência que a grande passagem sobre o amor, I Coríntios 13, começa dizendo que "o amor é paciente". O amor não é rápido em se irar; o amor não se apressa em julgar.
Quanto mais aumentamos a velocidade de nossa vida, menor é a nossa capacidade de amar as pessoas ao nosso redor. "Amor e pressa não podem coexistir".

3. Uma vida apressada obscurece o nosso propósito e diminui a nossa paixão:
Propósito é um termo que está muito na moda nos dias de hoje. "qual o meu propósito" é uma pergunta popular.
Numa cultura apressada, o propósito de alguém é determinado pelo que essa pessoa Faz! Mas a ideia divina de propósito está mais relacionada com o que a pessoa é do que com o que a pessoa faz!
De acordo com Frank Powell, uma vida apressada procura respostas nas coisas externas. Mas a vida no compasso divino procura respostas nas coisas interiores.

Deus não se impressiona com a nossa correria. Ele não é glorificado quando assumimos tantas responsabilidades que nossa alma se afoga no cansaço e no descontentamento.
Tiremos o nosso pé do acelerador. Diminuamos o compasso. "A nossa velocidade revela quem realmente está dirigindo a nossa vida".

Tenha um abençoado mês de setembro.

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica