Data de postagem: 26/05/2017 21:44:38

A Corrupção e o Povo de Deus

O mundo morre de amores pelo dinheiro, mas a Bíblia diz em I Timóteo 6.10 que "o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores". Como resultado, o que vemos é um mundo onde o roubo e a corrupção crescem dia a dia.
Veja o alerta que a bíblia faz em Tiago 5.1-2: "Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. As vossas riquezas estão corrompidas, e as vossas vestes estão comidas de traça".

Eu gostaria de lembrar, entretanto, que Tiago não escreveu essas palavras para pessoas mundanas. Ele escreveu para pessoas de dentro da Igreja. No primeiro versículo do capítulo 1 ele define os/as destinatários/as da carta: "Tiago, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que andam dispersas...". Aquelas pessoas eram parte do povo escolhido por Deus; filhos e filhas de Abraão, Isaque e Jacó; pessoas que haviam sido libertas da escravidão do pecado e professavam a fé cristã.
Pelo visto algumas delas estavam apaixonadas pelas riquezas desse mundo e estavam se corrompendo. E Tiago escreve esse capítulo como um alerta.

Em uma interpretação literal dessa passagem, Tiago estava alertando aqueles judeus cristãos a respeito da destruição de Jerusalém pelas mãos dos romanos, que aconteceria no ano 70. Jerusalém seria destruída e as riquezas dos judeus seriam levadas pelo exército romano. Aqueles que haviam literalmente roubado de seus compatriotas através da pratica de negócios injustos ou de cobrança de juros abusivos veriam suas riquezas serem levadas pelos romanos.

Em uma interpretação espiritual ou simbólica dessa passagem, Tiago estava alertando os cristãos de todos os tempos e, em especial a igreja nesses últimos dias, sobre o risco e as consequências do amor ao dinheiro que gera a desonestidade, a ganância e a corrupção.
Hoje a Igreja impacta o mundo de várias formas:
- através do anuncio (da pregação) das boas novas da salvação em Jesus Cristo;
- através da denuncia do pecado e da injustiça;
- mas em especial através do testemunho de uma vida santa; honesta; transparente e desprovida de ganância.

Exorto aos/as pastores/as e líderes do povo de Deus para que fujam de toda e qualquer aparência do mal, em especial no que diz respeito à finanças, tanto na igreja e fora dela.

Em Cristo,

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica