Data de postagem: 25/02/2017 16:15:23

Falar... Ser... Fazer

(Mateus 7.21-27)

Essas são as últimas palavras de Jesus no chamado 'sermão da montanha', que começa no capítulo 5 e termina aqui no capítulo 7 do evangelho de Mateus.

Não é um sermão fanático e nem convida ao fanatismo, mas é um sermão radical que convida a um compromisso radical com o Reino de Deus.

Jesus não usa meias palavras. Ele chama a um compromisso radical de vida e termina com essas palavras profundas, como se elas fossem um selo, imprimindo sua autoridade ao seu ensino. Quero destacar o versículo 21:

V. 21 - "Nem todo aquele que me diz: "Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus".

A primeira coisa que Jesus está procurando mostrar aqui é que a questão não é fazer, mas fazer a vontade do pai, ou fazer aquilo para o que fomos chamados.

Hoje vivemos a crise do fazer: O que fazer diante de tantas possibilidades? O que eu estou fazendo é prioridade do e no Reino de Deus? O que é que Deus quer de nós para esse momento? O que é que Deus quer de mim como pessoa? Como família? Como igreja local? Como denominação?

A segunda coisa que Jesus está procurando mostrar é que fazer deve ser resultado espontâneo do ser.

Veja agora os versículos 22 e 23: "Muitos me dirão naquele dia: 'Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?' Então eu lhes direi claramente: 'Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam a iniquidade'".

Interessante que a expressão iniquidade no original é ANOMIA - falta de lei. Falta de direção. Os/as que "praticam iniquidade" são todos aqueles/as que agem como se não tivessem de obedecer a leis, não respeitando as regras estabelecidas, como se fossem "donos do seu próprio nariz". Porque não têm comunhão íntima com o Senhor, não ouvem a sua voz e fazem o que acham que deve ser feito.

Nunca foi tão fácil fazer sem ser. Entretanto, quando se faz sem ser, mais cedo ou mais tarde virá às claras, virá a vergonha, virá o escândalo. Por isso Jesus é radical - "saiam de perto de mim seus geradores de escândalos".

Que o Espírito de Deus domine sobre as nossas vidas, transformando-nos, de tal forma que, em nossas palavras e ações possamos refletir o fato de que somo servos e servas de todos, sendo continuamente transformados à imagem daquele que não veio para ser servido, mas para servir.

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica