Data de postagem: 28/02/2016 15:14:45

O Privilégio de Servir - Maria (a mãe de Marcos)

"E, considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam" (Atos 12.12)

Todos nós gostamos de ser chamados pelo nome. É um sinal de inclusão. Sinal de que somos ?conhecidos?. Mas quando Lucas, o autor do livro de Atos, citou essa mulher (Maria) pelo nome, ele teve que explicar quem ela era. Certamente ela não era muito conhecida: "Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos".

Muitas pessoas ali deviam estar familiarizadas com Marcos, o sobrinho de Barnabé; o missionário assistente de Paulo. Mas poucos sabiam o nome da mãe de Marcos.

Maria não era famosa e certamente não era uma líder, mas, no seu aparente anonimato, ela teve um importante papel na igreja primitiva. Ela usava o que tinha para servir a Igreja em Jerusalém. Aparentemente Maria tinha uma casa grande, e foi nessa casa que, de acordo com o texto acima, muitos estavam reunidos para orar por Pedro enquanto ele se encontrava na prisão. E foi para a casa de Maria que Pedro se dirigiu quando foi milagrosamente liberto da prisão.

Às vezes somos tentados a nos comparar com outras pessoas e acabamos achando que não temos muito. Achamos que o nosso talento não é grande coisa; que os nossos dons não são tão úteis; que nossa capacidade de liderar não é suficiente.

Entretanto, quando colocamos o que temos no altar e à disposição da obra de Deus, ele nos orienta para que possamos usar o que dele recebemos. Assim trazemos gloria para Ele e benção para a Igreja na qual fomos chamados para servir.

João Calvino foi o autor dessa frase inspiradora: "A mais alta honra na igreja não é governar, mas servir".

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica