Data de postagem: 29/10/2015 09:09:11

Jesus - O Galileu

O Antigo Testamento predisse que o Messias viria da Galiléia. Em Isaias 9.1, o profeta fala do nascimento do Principe da paz, fazendo a seguinte afirmação: "Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulom e a terra de Naftali; m as, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios. O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz".

Percebeu que o território onde Jesus nasceu era chamado "Galiléia dos gentios"? Ele era um Judeu, mas cresceu e viveu onde havia muitos gentios.

Entre os judeus do tempo de Jesus havia muito preconceito contra a Galileía ou qualquer pessoa vinda daquela área. Veja, por exemplo João 7.41: "outros diziam: Ele é o Cristo; outros, porém, perguntavam: Porventura, o Cristo virá da Galileia"?. Veja também João 7.52: "Outros até mesmo afirmavam 'Examina e verás que da Galileia não se levanta profeta".

Ainda assim, Deus, em sua sabedoria, decidiu que seu filho nasceria em Belém - uma cidade desprezada pelos Judeus (Miquéias 5.2), mas cresceria na cidade de Nazaré na Galiléia "por divina advertência, prevenido em sonho, retirou-se para as regiões da Galileia. E foi habitar numa cidade chamada Nazaré" Mateus 2.22-23.

Não é de admirar, então, que aquela criada, ao aproximar-se de Pedro, no pátio, durante o julgamento de Jesus, tenha dito: "Também tu estavas com Jesus, o Galileu". Certamente essa foi uma afirmação sarcástica, significando que Jesus era apenas um sujeito que viviam entre os desprezíveis gentios habitantes da região da Galiléia.

É maravilhoso que o salvador da humanidade tenha nascido e vivido não entre os religiosos, mas entres aqueles que eram considerados os mais desprezíveis e menos dignos de honra.
É maravilhoso notar esse Jesus que veio para ?os que eram seus? (os judeus), vivendo exatamente entre (os gentios) os que não eram considerados dignos para os seus. Agindo assim, ele permitiu que os menos prováveis se tornassem parte da família de Deus.

Que tremendo desafio para a igreja - corpo de Cristo. O desafio de viver e ministrar no meio dos (aparentemente) menos dignos, de tal forma que eles/elas possam também fazer parte da família de Deus.

Esse é o nosso desafio urgente.

Bispo João Carlos

 voltar ao topo
Direitos Reservados
Igreja Metodista - Sexta Região Eclesiástica